CONTACTO    ACTIVIDADES    MÍDIA    EDUCAÇÃO & LEITURA    LIVROS    PLANTAS    LENDAS    GASTRONOMIA


Dulce Rodrigues, escritora

páginas em francês   páginas em português   páginas em inglês

HOME

QUEM SOU ?

OS MEUS LIVROS

AGENDA de ACTIVIDADES

EDUCAÇÃO & LEITURA

TEATRO infanto-juvenil

PORTUGUÊS: mais bela
Língua materna

EFEMÉRIDES da HISTÓRIA

PLANTAS amigas da
nossa saúde

LENDAS do Mundo

RECEITAS portuguesas

BLOGUE "ALI-BABÁ"

PRÉMIOS Literários

BIBLIOGRAFIA

ILUSTRADORES

 

Livro de Visitas

LIVRO de VISITAS

 
 

HERANÇA HISTÓRICO-CULTURAL PORTUGUESA NA ETIÓPIA

Postado por Dulce Rodrigues a 3 de Março de 2009

As realizações arquitectónicas que os Portugueses deixaram espalhadas pelo mundo são notáveis, mas em muitos casos pouco ou nada conhecidas fora dos países em que se encontram implantadas. Um desses lugares é a Etiópia, e foram os próprios Etíopes que me fizeram descobrir essa rica herança quando da minha recente viagem àquele país. Gostaria de partilhar convosco fotografias de algumas dessas riquezas. No que respeita aos acontecimentos históricos que ligaram Portugal e a Etiópia, não existem monumentos como testemunho; são factos que somente fazem parte da memória colectiva do país e se encontram mencionados nos livros de história.

A primeira ponte portuguesa – na realidade a primeiríssima ponte construída em Africa digna de se considerar uma ponte – foi construída em 1620 no caminho que leva às Quedas do Nilo Azul. Levei cerca de 45 minutos, sempre a subir por caminhos pedregosos e de piso irregular, para chegar ao cimo da colina, tendo sido ajudada em grande parte do percurso por um dos jovens etíopes que acompanhavam o nosso grupo. Mas valeu a pena, perante a magnífica vista das cascatas fumegantes do Nilo Azul. Ao lançarem-se em cachoeira pelos pinhascos, as águas do rio parecem fumegar, pelo que os habitantes da região lhes chamam “Tis Isat” , que significa “lume fumegante”.

Ponte portuguesa, Etiópia

Quedas do Nilo Azul, Etiópia

Situada na garganta do Nilo Azul, a cerca de 50 quilómetros abaixo da nascente do rio no Lago Tana, encontra-se uma outra ponte construída pelos Portuguesas. Os materiais foram pedra, areia, cal e ovos!! Sim, sim, ovos, que antigamente eram usados para dar elasticidade nas juntas. Esta ponte era destinada à passagem de pessoas e burros unicamente; sofreu rupturas e reparações em diversas ocasiões – daí chamarem-lhe "ponte partida" – mas depois da derrota italiana durante a Segunda Guerra Mundial, nunca mais foi reparada convenientemente. A população local ainda a utiliza porém, pois assim evitam o longo caminho até à ponte mais próxima: ligando várias cordas umas às outras por meio de nós e com 6 homens de cada lado a puxar, uma a uma as pessoas conseguem atravessar a fenda existente na ponte.

O complexo de Gondar, composto de castelos e outros edifícios, foi iniciado durante o reinado do imperador Fasilidas (1632-67), que para ali mudou a capital da Etiópia, e continuado depois pelos seus sucessores. A influência portuguesa está bem visível na arquitectura dos edifícios.

Castelo de Fasilidas, Gondar, Etiópia

Castelo de Fasilidas (porta), Gondar, Etiópia   Castelo de Fasilidas (janela), Gondar, Ethiopia

© Dulce Rodrigues

 
 
  << Voltar  
 



LIVROS para CRIANÇAS

 

OUTROS LIVROS

 

GUIÕES de TEATRO

PORTAL JUVENIL 

sítio infanto-juvenil Barry4kids, em quatro línguas  



Siga Dulce Rodrigues no Google

Siga Dulce Rodrigues no Facebook Siga Dulce Rodrigues no YouTube Siga Dulce Rodrigues no Pinterest Siga no LinkedIn  

Copyright © Dulce Rodrigues, 2000-2016. Reservados todos os direitos.