CONTACTO    ACTIVIDADES    MÍDIA    EDUCAÇÃO & LEITURA    LIVROS    PLANTAS    LENDAS    GASTRONOMIA


Dulce Rodrigues, escritora

páginas em francês   páginas em português   páginas em inglês

HOME

A Gastronomia faz parte da nossa cultura

Bacalhau à Brás

Caldeirada à Algarvia

Caldo verde à Minhota

Cataplana de frango

Croquetes de carne

Esparregado de nabiças

Fogaça de S. M. da Feira

Folar da Páscoa

Licor de ginja

Pastéis de bacalhau

Peixinhos da horta

Pudim de abóbora

Pudim de leite

Salada à Algarvia

Tarte de amêndoa

Torta de laranja

 

Livro de Visitas

LIVRO de VISITAS

         
 

FOGAÇA DE SANTA MARIA DA FEIRA
(gastronomia portuguesa da região de Aveiro e Porto)

Em 1505, a peste assolou Portugal. Na região de Santa Maria da Feira foi feita a promessa a São Sebastião de realizar uma festa anual em sua honra se o santo livrasse os Feirenses da peste. O “voto” da promessa seria uma “fogaça”, bolo cujo formato foi inspirado nas quatro torres do castelo. É esta a receita que partilho hoje convosco. É um bolo fácil de fazer, mas é preciso ter paciência para respeitar todos os períodos de descanso da massa.

© Dulce Rodrigues

Fogaça de Santa Maria da Feira

Ingredientes para o fermento
. 200 g de farinha
. 120 ml (ou mais) de água morna
. 50 g de fermento fresco de padeiro

Ingredientes para a massa
. 600 g de farinha
. 160 g de açúcar
. 120 g de manteiga sem sal
. 3 ovos
. 1 colher (café de sal
. 1 colher (café) de canela em pó
. raspa de limão

 

Preparação
1 - Dissolva o fermento na água tépida e deixe repousar um quarto de hora. Depois adicione a farinha e mexa até obter uma massa relativamente mole. Deixe levedar cerca de meia hora (depende da temperatura ambiente) para que aumente de volume.
2 - Depois, adiciona-se o açúcar com a canela, o sal, os ovos, a raspa de limão, a manteiga e a farinha necessária para se obter uma massa um pouco mais consistente do que a do pão. Deixa-se fermentar o tempo necessário para a massa dobrar de volume.
3 - Seguidamente, pega-se na massa, divide-se ao meio e molda-se cada uma das partes num rolo comprido semelhante a uma serpente, isto é, mais espesso num dos lados. Espalma-se este rolo com a mão, ficando uma tira que se começa a enrolar pelo lado mais largo, resultando numa pirâmide.
4 - À medida que se vão enrolando, vão-se colocando as pirâmides num tabuleiro forrado com um pano polvilhado com farinha onde voltam a crescer (entre 30 minutos e 1 hora). Pincelam-se com ovo batido e, com uma tesoura, dão-se 4 golpes no topo da pirâmide de que resultarão as "torres do castelo".
5 - Introduzem-se as fogaças no forno quente a (200º) e, a meio da cozedura (cerca de 15 minutos depois), tiram-se para fora e separam-se as "torres do castelo", permitindo assim que o calor penetre no interior das fogaças, cozendo-as uniformemente. Voltam ao forno para acabar de cozer. As fogaças devem ficar loirinhas e não queimadas, e cozidas mas não em demasia. Verificar a cozedura introduzindo uma faca no meio; se esta vier seca, o bolo está pronto.

 
 

Fonte: Receita de A Confraria da Fogaça da Feira.

ENVIE O SEU COMENTÁRIO - Gostaria da sua opinião

 
 



história do pão

A história do pão
 

história do sal

A história do sal
 

ramo de oliveira com azeitonas

Uma história de oliveira...
e de azeite
 



Siga Dulce Rodrigues no Google

Siga Dulce Rodrigues no Facebook Siga Dulce Rodrigues no YouTube Siga Dulce Rodrigues no Pinterest Siga no LinkedIn  

Copyright © Dulce Rodrigues, 2000-2016. Reservados todos os direitos.