CONTACTO    ACTIVIDADES    MÍDIA    EDUCAÇÃO & LEITURA    LIVROS    PLANTAS    LENDAS    GASTRONOMIA


Dulce Rodrigues, escritora

páginas em francês   páginas em português   páginas em inglês

HOME

A Gastronomia faz parte da nossa cultura

Bacalhau à Brás

Caldeirada à Algarvia

Caldo verde à Minhota

Cataplana de frango

Croquetes de carne

Esparregado de nabiças

Fogaça de S. M. da Feira

Folar da Páscoa

Licor de ginja

Pastéis de bacalhau

Peixinhos da horta

Pudim de abóbora

Pudim de leite

Salada à Algarvia

Tarte de amêndoa

Torta de laranja

 

Livro de Visitas

LIVRO de VISITAS

 
 

A GASTRONOMIA FAZ PARTE DA NOSSA CULTURA

(Lista das receitas na coluna da esquerda.)

A gastronomia nasceu certamente no momento em que os nossos antepassados descobriram o fogo e puderam assar o primeiro pedaço de carne. Da carne assada sobre os carvões passou-se à carne grelhada metida em toscos espetos que se colocavam sobre o fogo. Foram os primeiros passos na arte culinária.

Com as grandes civilizações, como a egípcia, passaram a comer-se grelhados, estufados e assados, frutas e guloseimas diversas. Requintados como eram, os Egípcios sabiam já como preparar os alimentos para lhes dar maior palador, e apresentavam-nos em pratos artisticamente decorados.

Culinária egípcia

Com os Gregos a culinária não avançou muito, pois eles cultivavam mais a literatura, a poesia e a música, e os banquetes eram sobretudo motivo de reunião e entretenimento do espírito e não prazer gastronómico. Com o andar dos tempos, contudo, os costumes mudaram-se e essa mudança coincidiu com o período de decadência e conquista da Grécia pelos Romanos. Frugais no princípio, os Romanos em breve se deixaram conquistar pelos prazeres da mesa, com as consequências desastrosas que todos nós conhecemos da História.

banquete romano

Seguiu-se a conquista de Roma pelos Bárbaros e, um vez mais, a gastronomia foi atraiçoada, pois perdeu-se completamente o prazer de bem comer em benefício de comer bem

Durante a Idade Média, começam a aparecer as cozinhas tradicionais que reflectem as diversas características étnicas e regionais. Mas os repetidos períodos de fome que assolaram as populações não permitiram um grande avanço da arte culinária, e seria necessário chegar-se ao Renascimento para que, tal como as outras artes, a gastronomia atingisse um elevado grau, que tem conservado até aos nossos dias.

banquete durante a Renascença

A gastronomia, tal como outras formas de arte, é um património cultural que cada povo deve preservar, sob pena de perder uma parte da sua identidade.

© Dulce Rodrigues

 
 

MENSAGEM AOS MEUS LEITORES: Como sabem todos os que me têm escrito, quer com uma mensagem no Livro de Visitas, quer directamente para o meu endereço electrónico, nunca deixo de responder a quem teve a gentileza de me escrever. O que pode acontecer é que, por vezes, leve um pouco mais de tempo, porque viajo muito e isso não me permite responder logo. Grata pela vossa compreensão. 

 



história do pão

A história do pão
 

história do sal

A história do sal
 

ramo de oliveira com azeitonas

Uma história de oliveira...
e de azeite
 



Siga Dulce Rodrigues no Google

Siga Dulce Rodrigues no Facebook Siga Dulce Rodrigues no YouTube Siga Dulce Rodrigues no Pinterest Siga no LinkedIn  

Copyright © Dulce Rodrigues, 2000-2016. Reservados todos os direitos.