CONTACTO    ACTIVIDADES    MÍDIA    EDUCAÇÃO & LEITURA    LIVROS    PLANTAS    LENDAS    GASTRONOMIA


Dulce Rodrigues, escritora

páginas em francês   páginas em português   páginas em inglês

HOME

O que são lendas?

Áster

Cerejeira

Crisântemo

Croco ou Açafrão

Heléboro

Lírio-do-vale

Paparraz

Peónia

Prímula ou Primavera

Sardinheira

Violeta

Lenda do folar da Páscoa

Uma Lenda hindu

 

Livro de Visitas

LIVRO de VISITAS

 
 

A LENDA DO ÁSTER, UMA LENDA DE OUTONO

No mês de Setembro, o Outono começa a deitar o nariz de fora... Mas uma pequenina flor alegra ainda os nossos jardins: o áster. É sobre esta bonita flor que vos vou falar.

aster alpinus

Os ásteres são antigas flores dos campos da mesma família das margaridas, e o seu nome botânico "aster" significa estrela em Latim e Grego. Os ásteres eram flores sagradas de deuses gregos e romanos, com as quais se enfeitavam os altares. Na linguagem das flores, os ásteres simbolizam o Amor, a Lealdade, Sabedoria, Luz e Poder; para os Chineses estas flores são o símbolo da Fidelidade.

Há lendas gregas e romanas associadas aos ásteres; mesmo uma lenda da Idade do Ferro. Mas a lenda que gostaria de partilhar convosco é uma lenda dos Índios Cherokee da América do Norte. Esta lenda conta-nos que duas tribus guerreiras estavam em guerra por causa de um terreno de caça, e que durante o conflito chegaram a uma aldeia e mataram todos os habitantes. Só escaparam duas jovens irmãs que se encontravam num bosque ali perto. Uma das jovens estava vestida de amarelo vivo; a outra tinha um vestido azul alfazema com franjas.

Horrorizadas com o que vinha de acontecer aos outros habitantes da aldeia, as duas jovens fugiram para a montanha dos arredores à procura da Senhora das Ervas, que era conhecida por ter recebido dos deuses o dom de fabricar poções mágicas com plantas que colhia durante o dia.

Quando chegaram ao lugar onde vivia a Senhora das Ervas, as duas irmãs estavam muito cansadas e adormeceram imediatamente sobre a erva. Enquanto dormiam, a Senhora das Ervas pôs-se a interrogar o futuro e apercebeu-se de que os guerreiros procuravam as duas jovens. Regou-as então com uma das suas poções mágicas e cobriu-as com folhas. No dia seguinte as jovens estavam transformadas em duas belas flores, que cresciam exactamente no sítio onde elas tinham dormido. Uma das flores parecia uma pequena estrela de cor azul alfazema - era o áster. A outra era a vara-dourada.

© Dulce Rodrigues

 

ENVIE O SEU COMENTÁRIO - Gostaria da sua opinião

 
 



LIVROS para CRIANÇAS

 

OUTROS LIVROS

 

GUIÕES de TEATRO

PORTAL JUVENIL 

sítio infanto-juvenil Barry4kids, em quatro línguas  



Siga Dulce Rodrigues no Google

Siga Dulce Rodrigues no Facebook Siga Dulce Rodrigues no YouTube Siga Dulce Rodrigues no Pinterest Siga no LinkedIn  

Copyright © Dulce Rodrigues, 2000-2016. Reservados todos os direitos.